Share
Mortes caem, multas triplicam e falhas persistem nas marginais

Mortes caem, multas triplicam e falhas persistem nas marginais

ACIDENTES – Na comparação entre 2014 e 2015, as marginais tiveram queda de 33% nas mortes, de 73 para 49. Ainda assim, as duas continuavam a ser as vias mais fatais da cidade

Prestes a completar um ano, a redução do limite de velocidade nas marginais Pinheiros e Tietê resultou em queda nas mortes em acidentes e expressivo aumento das multas nas vias – que chegaram a triplicar na comparação do primeiro trimestre de 2015 com igual período de 2014.

Apesar desse potencial aumento de arrecadação, as pistas continuam a sofrer com velhos e conhecidos problemas: camelôs e pedestres transitando nas margens das vias expressas, bicicletas ao lado dos carros, lixo acumulado e falhas de orientação.

Em 20 de julho do ano passado, a gestão Fernando Haddad (PT) implantou a medida mais polêmica em seu programa de redução das velocidades na capital paulista -baixando os limites de 90 km/h para 70 km/h na pista expressa, de 70 km/h para 60 km/h na central e de 70 km/h para 50 km/h na local.

À época, a medida foi questionada judicialmente pela OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil) -sem sucesso- e dividiu a opinião de especialistas em transportes. Embora a expectativa de redução das vítimas fosse majoritária, parte dos técnicos considerava que a iniciativa era um pouco exagerada e cobrava outras ações para melhorar a situação nas pistas.

prestação de contas

A prestação de contas feita pela gestão Haddad do impacto na segurança viária é deficiente -os últimos dados consolidados ainda são do final do ano passado, e a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) não informou novas atualizações, apesar de insistentes pedidos da reportagem.

Os resultados disponíveis, porém, são positivos. Na comparação entre 2014 e 2015, as marginais tiveram queda de 33% nas mortes, de 73 para 49. Ainda assim, as duas continuavam a ser as vias mais fatais da cidade. Foram 30 mortes na marginal Tietê e outras 19 na marginal Pinheiros. Os motociclistas são os que mais perderam a vida nessas pistas: 22, seguidos de 14 motoristas e ocupantes de veículos e 13 pedestres.

A diminuição mais significativa ocorreu a partir do mês em que limitou as velocidades máximas nessas vias, conforme os dados da gestão Haddad. Na cidade inteira, a redução nas mortes em acidentes foi menor, de 22%.

 

 

Foram aplicadas mais de

quatro multas por minuto

 

 

Se os acidentes caíram, por outro lado as multas por excesso de velocidade triplicaram nas duas marginais. Na comparação do primeiro trimestre de 2015 com igual período deste ano (dado mais recente disponibilizado pela prefeitura), foi registrado um aumento de 218%, segundo levantamento da Folha de S.Paulo.

De 171 mil multas nos primeiros três meses do ano passado, a quantidade de infrações nas pistas expressas e locais das marginais Pinheiros e Tietê ultrapassou 544 mil em 2016. São mais de quatro multas por minuto neste ano.

Além da redução dos limites de velocidade, colaborou para esse aumento nas infrações a ampliação do parque de radares eletrônicos em São Paulo. Nas marginais, Haddad prometera adicionar 22 novos equipamentos aos 65 já existentes

Deixe seu Comentário